Com “música na cabeça”, esperança e “sonhos cada vez mais ousados”, 73 alunos do 9.º ano assinalaram a conclusão de mais um ciclo escolar, participando no “Jantar de Finalistas”, que este ano decorreu no dia 28 de junho, realizado novamente “dentro de portas”.

A noite, acompanhada de perto por Encarregados de Educação e familiares, Docentes, Educadores e demais profissionais da Fundação CEBI, foi recheada de orgulho e generosidade, sentimentos multiplicados por todos quantos se juntaram à celebração.

A música, a dança e a ginástica acrobática subiram a palco, numa variedade de saberes e manifestações artísticas a que os alunos do Colégio José Álvaro Vidal já habituaram os presentes.  

“Nunca deixem de brilhar” foi uma das mensagens mais repetidas durante a celebração, que pelo segundo ano consecutivo decorreu no Pavilhão Polidesportivo da CEBI, completamente transformado num ambiente distinto e repleto de glamour.

A certeza e confirmação de uma “marca distintiva na CEBI”

“Temos a audácia de pensar que os alunos que passam pela Fundação CEBI são diferentes daqueles que frequentam outras Escolas”, reconheceu António Castanho, Diretor do Colégio José Álvaro Vidal. Acompanhado por vários elementos da Administração da CEBI, dos quais se destaca Ana Maria Lima, Presidente do Conselho de Administração, Direção Geral e Corpo Diretivo, reconheceu “uma marca distintiva na CEBI”, particularmente evidente “no quadro de valores que percecionamos nos nossos estudantes”.

A mensagem foi reforçada pelos três Diretores de Turma dos alunos finalistas, que aproveitaram a oportunidade para fortalecer laços que resultam “de bons e largos anos” em que cresceram em conjunto.

"A escuridão leva-nos na direção errada”, por isso, aconselharam: “não deixem de acreditar que os sonhos se constroem aos poucos. Trabalhem e invistam neles. Sejam sensatos em tudo o que fazem, mas não se satisfaçam com o que não vos faz feliz”.

O Jantar de Finalistas só encerrou depois da entrega do tradicional “Livro de Finalistas” que, mais uma vez, chegou recheado de surpresas para os alunos do 9.º ano. Cada página remetia para uma determinada área do conhecimento, uma memória, em formato de imagem ou texto. Mas era no fim que se projetava o futuro. Todos os estudantes, sem exceção, tinham escondida uma carta, redigida pelos Encarregados de Educação. Em poucas linhas, escreveu-se de tudo, mas replicaram-se, acima de tudo, desejos de muita felicidade. 




VOLTAR