As turmas do Colégio José Álvaro Vidal (CJAV) que, em fevereiro, representaram as Nações no “The World Peace Game”, voltaram a encontrar-se para “intervir na sociedade” e, de um modo muito especial, tentar “mudar o mundo”. Desta vez, os alunos participantes foram Cientistas Sociais, a quem foi proposto um novo conjunto de desafios de cooperação, agendados para dia 14 de junho. Precisamente à hora marcada, as Nações constituídas por grupos de alunos do 1.º ao 9.º ano participaram num jogo interturmas, onde foram desafiadas a “criar sinapses uns com os outros”, angariando “o maior número de energias”, procurando estabelecer “laços fortes”. E ligações. 

Criação de compromissos, troca de afetos e cooperação entre turmas

Tudo começou com um Big Bang. Num ápice, centenas de alunos ocuparam os espaços onde já estavam, à sua espera, os desafios da tarde. Havia “inspiração, ideias, possibilidades”. Porque o Big Bang é mais do que “o início do Universo e dos primeiros átomos”. É o “início de todos nós” e um “fluxo de energias que se movimentam e crescem em todas as direções dentro de nós”. 

Durante duas horas, os estudantes contrariaram a gravidade, declararam e espalharam amor, projetaram arquitetonicamente um novo espaço para o Colégio José Álvaro Vidal, sopraram ventos do norte. Criaram compromissos, trocaram afetos e cooperaram entre si.

As conexões, essas, não ficaram “visualmente” esquecidas. Em cada desafio completo, as turmas da CEBI recebiam pequenas porções de uma “corda vermelha”, que era depois esticada nos locais adequados do recinto. No final do dia, inúmeras ligações preencheram o espaço da CEBI. Enérgicas, interligaram tudo e todos. E contrariaram a ideia de que “a expansão nos afasta das outras galáxias”.

“Poeira das estrelas” coloriu o recinto central da Fundação

Tinham consigo a “força do Universo e a energia das estrelas”. Não lhes faltava razões para celebrar e “recriar pedagogias ativas e de participação”. Como? Bem alto. Para todos ouvirem! Situados em palcos devidamente criados para o efeito, os Speakers de cada Nação podiam, assim, ganhar asas e brilhar. Com que objetivo? “Promover os Direitos Humanos e a Educação Cívica na Comunidade Escolar, ser capaz de influenciar positivamente, individualmente e em grupo, a Sociedade” e consciencializar, principalmente, “para a problemática do preconceito”, trabalhada previamente em Sala de Aula.

No final, foi a “poeira das estrelas” que protagonizou o encerramento do Ano Letivo. Com as mais diversas cores, a Comunidade Escolar coloriu o recinto central da Fundação CEBI, despedindo-se do Ano Escolar com um enorme arco-íris que ajudou a cimentar “um fluxo de energia, sentimento e emoção” entre os estudantes do CJAV.



VOLTAR