Consciente dos desafios que se impõem na Sociedade atual relativamente ao envelhecimento da população e à diminuição significativa do número de cidadãos ativos, o Departamento de Acolhimento e Apoio a Idoso (DAAI) da Fundação continua a trabalhar para contribuir para a melhoria dos padrões de qualidade de vida dos mais velhos e consequentemente dos seus familiares.

Numa resposta cada vez individualizada, o Lar da Fundação CEBI promove um conjunto de atividades centradas na finalidade primeira de promover a dignidade e bem-estar no envelhecimento.

Uma dessas atividades realiza-se duas vezes por semana e é dinamizada por uma Auxiliar de Ação Educativa do Colégio José Álvaro Vidal. Formada em Educação Básica, Clara Santos incorporou, desde janeiro, o desafio de apresentar aos utentes do DAAI sessões que possibilitem a reaquisição de hábitos de leitura, escrita e cálculo. É quem orienta, atualmente, o Projeto “Saber e Ler”, uma atividade de valor inestimável, que decorre há já vários anos junto dos Idosos da CEBI. A ideia é simples: às quartas e às sextas-feiras, a “Professora Clara” improvisa, no “Jardim de Inverno” do DAAI, uma pequena Sala de Aula. Juntam-se a ela, perto de dez utentes. 

Dinâmicas ao ritmo dos Idosos e de acordo com sugestões de cada um

Cópias, ditados, exercícios de leitura, jogos matemáticos e de raciocínio lógico, são alguns dos exemplos dos trabalhos propostos. Calmamente, ao ritmo de cada um e sem as exigências dos Planos Curriculares. Porque, na verdade, os intuitos também são diferentes. 

Durante os seis meses em que assumiu a dinamização da atividade, Clara Santos não sentiu “grandes dificuldades”, mas depressa explica que “desde o primeiro dia” percebeu “que as dinâmicas a implementar nunca poderiam ser impostas e deviam ir de acordo às sugestões que os próprios Idosos vão partilhando”. 

O Ano Letivo 2017/2018 terminou recentemente para os alunos de Clara. Houve Idosos que, pró-ativamente, pediram para ficarem com o caderno de exercícios durante estas “férias letivas”. Propõem-se, quase diariamente, a escrever algumas linhas sobre os seus dias. Uma espécie de “diário” que começou, durante o ano, a ganhar forma. A “Professora Clara” sorri. E, logicamente, acede ao pedido, consciente dos frutos que vai conseguindo colher nesta reaquisição de saberes e rotinas escolares. 



VOLTAR