A Ortoprotesia, apesar de ainda não ser muito conhecida, é uma área de estudo já com uma longa história. Achados arqueológicos referentes à V Dinastia Egípcia, que remontam aos anos compreendidos entre 2750 e 2625 a.C, representam a utilização de uma ortótese. Posteriormente, é possível encontrar diversas referências bibliográficas de estudos e livros elaborados por grandes nomes, tal como por Hipócrates, o intitulado “pai da medicina”, que representam a investigação no desenvolvimento de ortóteses e próteses.

Em Portugal, a Ortoprotesia é uma das especialidades na área da saúde que integram a carreira de Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica (TDT), que têm como principais objetivos a promoção, prevenção, diagnóstico, tratamento, reabilitação e reinserção do utente, tendo por base uma indicação Clínica e/ou pré-diagnóstico médico.

Mas o que é e para que serve uma ortótese, uma prótese e as ajudas técnicas?

É considerada uma ortótese, os dispositivos ou apoios externos que são aplicados sobre um segmento corporal, afim de auxiliar, estabilizar ou modificar características funcionais ou estruturais do sistema músculo-esquelético. Isto é, uma pessoa que tenha dores nos pés, devido a desvios que tenham ocorrido nas estruturas ósseas e musculares (por motivos profissionais, desportivos ou fisiológicos), pode beneficiar de uma ortótese plantar (palmilhas) para correção e/ou conforto.

As próteses são um dispositivo externo que substitui a ausência de um membro, devido a uma amputação de origem, por exemplo, congénita, traumática ou vascular. São diversas as patologias que atualmente, quando não prevenidas ou tratadas no momento correto, podem ter como consequência a amputação dos membros, tais como a Diabetes, as Doenças Cardiovasculares e o Cancro Ósseo.

As ajudas técnicas, também designadas por produtos de apoio, correspondem aos dispositivos/aparelhos que auxiliam os utentes a executarem diferentes atividades do quotidiano e determinadas ações/funções. Os auxiliares de marcha, como as canadianas, andarilhos e cadeiras de rodas são alguns exemplos de ajudas técnicas que ajudam, de forma temporária ou permanente, na mobilidade e locomoção da pessoa. Existem também diversos produtos de casa de banho (alteadores de sanita, bancos de duche, barras de apoio, entre outros), de quarto e sala (camas e poltronas articuladas, elevadores de transferência, almofadas, entre outros) que permitem executar determinadas tarefas com menor esforço físico para a pessoa (que necessita do auxílio) e para o cuidador.

Desde da II Guerra Mundial, com o desenvolvimento nas áreas da química e da mecânica, a Ortoprotesia tem ao seu dispor novos materiais (mais leves, com maior resistência e esteticamente agradáveis, para confeção dos seus produtos), novas tecnologias de produção que permitem aumentar a qualidade de trabalho para além das recentes metodologias de avaliação, que nos possibilitam um diagnóstico de elevada precisão.

A Ortoprotesia atualmente tem como primordial objetivo atuar na área da promoção e prevenção. São diversas as ortóteses e produtos de apoio que quando selecionados e utilizados corretamente são soluções eficazes na prevenção de lesões, diminuição de dores, desconforto e deformidades, que promovem maior estabilidade e confiança a caminhar, ou que, por outro, lado permitem a mobilidade.

Quem é que pode e deve usufruir dos serviços de um Ortoprotésico?

O Ortoprotésico é o profissional que tem ferramentas que auxiliam no diagnóstico médico, que conhece os produtos e que, mediante uma prescrição médica, pode aconselhar o utente com o mais indicado para o seu caso. No mercado existem diversas marcas e vários produtos da mesma família que diferem nas características e materiais utilizados. Como cada pessoa é diferente e tem as suas especificações, a escolha do produto deve ter em consideração a individualidade de cada um.

Portanto a pergunta que se coloca é: quem pode e deve usufruir dos serviços de um Ortoprotésico? E a resposta é inequívoca: todos! As crianças, os adolescentes, os jovens, os desportistas, os adultos e os Idosos. Em algum momento da nossa vida, seja porque torcemos um pé, fraturámos um osso ou tivemos dores na coluna, necessitámos dos serviços de um Ortoprotésico.

O Ortoprotésico pode não curar, nem tratar da causa, mas pode auxiliar no diagnóstico biomecânico, na melhoria da qualidade de vida e no retorno mais rápido e com maior segurança das suas atividades profissionais, sociais ou lúdicas.

TEXTO | Maria Martins Costa . Técnica Ortoprotésica da Clínica da CEBI



VOLTAR