Procurando envolver os alunos numa “atividade conjunta, que seja transversal a todas as idades”, os Professores do Colégio José Álvaro Vidal criaram uma “Estafeta de Contos”. Quase literal. A iniciativa, que conta com a participação das crianças do Pré-escolar e dos alunos do 1º, 2º e 3º ciclos, visa proporcionar um “momento de aprendizagem coletiva” onde a Leitura, a narração e a Literatura estejam em destaque.

Os mais de mil estudantes envolvidos na atividade preparam, numa primeira fase, junto das suas turmas, uma história que possa ser contada oralmente a um outro grupo. Sobre essa narrativa, que leem atentamente e desconstroem trabalhando a Língua Portuguesa, os alunos fazem a sua própria interpretação e escolhem, entre as diversas técnicas de dramatização, qual a que querem utilizar na sua apresentação.

Numa última fase, as turmas encontram-se num espaço da Fundação CEBI: uma para contar, outra para ouvir. Quem conta, passa o testemunho. Quem ouve, prepara uma nova história e apresenta-a a uma nova turma. E assim sucessivamente.

Desenvolver um espírito comunicativo e adequar o discurso às faixas etárias

O Projeto, presente ao longo de todo o Ano Letivo, encontra-se em desenvolvimento desde outubro de 2015 e só está previsto terminar em junho deste ano.

Adequar o discurso às diversas faixas etárias e modificar a forma de comunicar consoante o recetor da mensagem são os principais desafios da atividade – “os alunos são obrigados a desmontar os textos, a escolher personagens e a construir um discurso tendo em consideração os colegas que os vão ouvir”, explicou Ana Paulino, Professora de Português do Colégio da CEBI.

“Damos um caráter mais lúdico à Língua Portuguesa”

A transversalidade do contacto com alunos de diversas idades é um fator de motivação na “Estafeta de Contos”: “é uma forma diferente de trabalharmos. Conferimos um caráter mais lúdico à Língua Portuguesa, no entanto, quase sem se aperceberem, os alunos têm que ler, interpretar e compreender uma história, na mesma”.

Outra das aprendizagens significativas associada à atividade interturmas é a passagem “para a realidade” do trabalho de Sala de Aula – “há turmas que escolhem textos que estão no Programa Curricular de cada ano, o que acaba por facilitar a interiorização dos conteúdos”, acrescentou a Professora.



VOLTAR