Um texto que questiona “o mundo em que vivemos através da forma como escolhemos alimentar-nos” foi apresentado pelo Grupo Cénico da Fundação CEBI naquela que foi a sua “última peça em exibição”. 

Escrito por Isabela Figueiredo, “Lobo à Porta” pretende “refletir sobre a forma como uma cultura é um molde que varia conforme o lugar do mundo em que nos formámos”, uma narrativa espelhada em palco através da forma como se trata os animais – “que algumas culturas adoram, outras subestimam”. Especismo, sofrimento e ética animal percorreram os discursos das personagens, interpretadas por seis jovens atores da CEBI, dirigidos e coordenados pela Professora Catarina Loureiro. 

Alexandra Serralheiro, André Lino, Marta Carneiro, Ricardo Mata, Rita Bernardo e Tatiana Durães deram vida aos figurinos, apresentados ao estilo, muito próprio, da autora do texto dramático interpretado – “realista, cru, por vezes violento”. 
“Lobo à Porta” esteve em exibição no Teatro Estúdio Ildefonso Valério, situado em Alverca, nos dias 30 e 31 de março. A interpretação do Grupo Cénico da Fundação está a concurso ao Festival “PANOS – palcos novos, palavras novas”, um Projeto que tem agora casa no Teatro Nacional D. Maria II, após ter sido desenvolvido pela Culturgest entre 2005 e 2017.

Estimular o encontro entre as novas dramaturgias e o teatro escolar/juvenil é um dos principais objetivos do Festival “PANOS”, para o qual, anualmente, são escritas “peças originais de escritores com obra reconhecida” para serem representadas, em primeira mão, “por grupos de atores adolescentes”. 
 



VOLTAR