Alexandra Serralheiro, Bruno Correia, Inês Luís, Inês Pires, Marta Carneiro, Ricardo Mata, Ruben Durães, Tatiana Durães e Tomás Silva são os nove elementos que compõem o Grupo Cénico do Colégio José Álvaro Vidal. Conduzidos por Catarina Loureiro, Professora de Teatro, trabalham quase todos juntos há cerca de três anos, ainda que existam elementos que já integraram o Grupo há nove anos. Entre eles, com bastante trabalho e dedicação, criaram uma “zona de conforto” – começaram a perceber, com total segurança, o que querem, o que podem explorar e como o devem fazer.

“Então, este ano, eu decidi ‘tirar-lhes o tapete’”, explicou a Professora. Assim, com a mesma frieza das próprias palavras. Pode parecer confuso, e até dúbio, mas, dizem, a experiência está a ser “excecional”. Quem o admitiu foram os próprios alunos, depois de, no início desde mês, participarem em dois workshops com elementos do Teatro Praga, uma Companhia de Teatro Profissional.   

“Coloquei-me completamente nas mãos dos meus alunos”

As atividades, desenvolvidas a 4 e a 10 de novembro, marcaram o início de uma parceria que quer ser anual – “o compromisso é que durante o Ano Letivo trabalhemos em paralelo com o Teatro Praga, embora estejamos muitas vezes separados. A ideia é que o cruzamento que agora começou não se quebre até ao espetáculo final a apresentar”, explicou Catarina Loureiro.

“Bilingue”, escrito por José Maria Vieira Mendes, foi o texto que o Grupo escolheu para trabalhar, depois de uma longa conversa com o próprio autor – “foi uma decisão difícil, até porque nós procurávamos uma peça que nos desafiasse. Acabámos por escolher um texto que fala sobre a dualidade entre aquilo que falamos e o que ouvimos e que nos retrata enquanto pessoas individuais”, explicaram os alunos. Mais uma resolução ambígua: fortalecer o espírito de grupo sem se esquecerem da importância de cuidarem da sua individualidade e do seu “eu”. Aceitando o desafio, a Professora esclareceu: “eu coloquei-me nas mãos deles. Completamente. Mas gosto muito do texto. É difícil e extenso, mas estamos completamente à vontade para fazermos a nossa interpretação”.

“Abrir horizontes e viver novas experiências”

Apesar da heterogeneidade, é com visível entusiasmo, que os acompanha em cada palavra, que os alunos reconhecem que o Projeto com o Teatro Praga os fará evoluir “não só enquanto atores, mas também como pessoas”.

Dinamizada particularmente pela atriz Cláudia Jardim e pelo escritor José Maria Vieira Mendes, a parceria vai permitir que o Grupo “abra os seus horizontes e adquira novas experiências de representação”. Num autêntico complemento ao trabalho desenvolvido, semanalmente, pela Professora Catarina Loureiro, as expectativas sobre o contacto com uma Companhia de Teatro Profissional são elevadíssimas: “como saímos do contexto Escolar abrem-se um conjunto de possibilidades distintas. Estarmos com Profissionais permite-nos trabalhar um contexto emocional muito forte”.



VOLTAR