De 14 a 17 de maio realizaram-se, em Lisboa, as Finais Nacionais do Desporto Escolar. Na Ginástica Acrobática, a Região de Lisboa e Vale do Tejo foi representada por alunas da Fundação CEBI, que renovaram os títulos conquistados o ano passado e mostraram que a excelência, muitas vezes, é conseguida nos mais pequenos pormenores – “as atletas da CEBI conseguem quase sempre uma boa nota artística e na execução”, assegurou Paulo Eira, o Coordenador da modalidade no Colégio José Álvaro Vidal (CJAV).

Na competição, que marcou o culminar da Época Desportiva, a Rita Antunes e a Joana Barreto voltaram a alcançar o 1º lugar na categoria dos Pares Femininos, conquistando o título de Bicampeãs Nacionais, enquanto que a Clara Rios, a Ana Marta Ferreira e a Maria Cardoso ficaram classificadas em 2º lugar dos Grupos Femininos. As ginastas, que se posicionaram à frente de diversos atletas de outras seis Regiões Nacionais, integram o conjunto dirigido pela Professora Cátia Messias, constituído atualmente por cerca de 80 elementos.

Para o Grupo, “estas conquistas servem como uma referência” e como uma motivação extra para continuarem a trabalhar. Até porque, de acordo com Paulo Eira, “a evolução por patamares” é um dos segredos para o sucesso.

Atletas garantem lugares no pódio, ininterruptamente, desde 2010

A participação da Ginástica Acrobática da CEBI nas competições do Desporto Escolar remonta ao Ano Letivo de 2008/2009. Desde o ano seguinte que as ginastas da Fundação são ininterruptamente apuradas para representar a Região de Lisboa e Vale do Tejo nas Finais Nacionais e todos os anos os atletas em competição conseguiram lugares no pódio – “há um constante cimentar de resultados que, de alguma forma, também tem promovido a modalidade junto dos nossos alunos”, explicou o Coordenador.

A solidez já conseguida com os ginastas do CJAV obriga agora a que os Professores amplifiquem os desafios. Por isso, “no próximo Ano Letivo vamos dar mais um passo, federando alguns dos nossos alunos para que possam passar a representar a Fundação também nas Competições Federadas”, esclareceu Paulo Eira.



VOLTAR