A deterioração da função cognitiva, com sinais de perda de memória, desorientação, dificuldades de comunicação, falta de raciocínio, entre outros aspetos, revela-se como um dos primeiros sinais de demência, patologia que, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), triplicará nos próximos 30 anos, devendo atingir 152 milhões de Idosos em 2050. Torna-se, portanto, urgente incluir nas medidas de envelhecimento ativo, atividades que promovam competências cognitivas e mentais.

Perseguindo este objetivo, o Departamento de Acolhimento e Apoio a Idosos (DAAI) da Fundação CEBI inaugurou recentemente uma Sala de Estimulação Cognitiva e Sensorial, dinamizada por uma equipa multidisciplinar com o intuito de “contribuir para a manutenção e melhoria da funcionalidade e autonomia dos utentes, prevenindo o aparecimento de sintomas e quadros de demência”. 

Esta é uma oferta que se apresenta como “uma mais-valia para qualquer Organização”. Afirma-o Matilde Gonçalves, Diretora do Departamento de Acolhimento e Apoio a Idosos (DAAI) da Fundação CEBI, explicando a necessidade premente de “condutas cada vez mais consistentes, personalizadas e adequadas às novas realidades, sempre focadas no bem-estar pessoal e coletivo, olhando para o envelhecimento numa perspetiva holística”.

“Bolsa de Solidariedade” da Fundação Amélia de Mello

A concretização deste projeto resultou da atribuição de uma “Bolsa de Solidariedade” da Fundação Amélia de Mello. Com fins de educação e assistência, esta Bolsa foi desenvolvida com a colaboração do Conselho para o Desenvolvimento Sustentado do Hospital Vila Franca de Xira, inserindo-se na sua política de Responsabilidade Social. Esta atribuição pretende “dar relevância e reconhecer as Organizações que contribuem para a integração social, a promoção do bem-estar, o desenvolvimento e a valorização dos cinco concelhos que o Hospital Vila Franca de Xira serve”.



VOLTAR