Previous Page  79 / 82 Next Page
Information
Show Menu
Previous Page 79 / 82 Next Page
Page Background

79

CERTIFICAÇÃO

LEGAL DAS CONTAS

Introdução

1. Examinámos as demonstrações financeiras anexas de

CEBI - Fundação para o Desenvolvimento Comunitário de

Alverca, Instituto Particular de Solidariedade Social, as quais

compreendem o Balanço em 31 de Dezembro de 2015 (que

evidencia um total de 20.152,442 Euros), a Demonstração

dos Resultados por naturezas e a Demonstração de Fluxos

de Caixa, do exercício findo naquela data, bem como o cor-

respondente Anexo.

Responsabilidades

2. É da responsabilidade do Conselho de Administração da

CEBI - Fundação para o Desenvolvimento Comunitário de

Alverca, a preparação de demonstrações Financeiras que

apresentem de forma verdadeira e apropriada a posição

financeira da Fundação, o resultado das suas operações, os

fluxos de caixa, bem como a adoção de critérios e políticas

contabilísticas adequados e a manutenção de um sistema

de controlo interno apropriado.

3. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma

opinião profissional e independente, baseada no nosso

exame daquelas demonstrações financeiras.

Âmbito

4. Exceto quanto à limitação descritas no parágrafo 7 abai-

xo, o exame a que procedemos foi efetuado de acordo com

as Normas Técnicas e das Diretrizes de Revisão/Auditoria

da Ordem de Revisores Oficiais de Contas, as quais exigem

que o mesmo seja planeado e executado com o objetivo

de obter um grau de segurança aceitável sobre se as de-

monstrações financeiras estão isentas de distorções mate-

rialmente relevantes. Para tanto, o referido exame incluiu:

a) A verificação, numa base de amostragem, do suporte

das quantias e divulgações constantes das demonstrações

financeiras e a avaliação das estimativas, baseadas em juí-

zos e critérios definidos pelo Conselho de Administração,

utilizadas na sua preparação;

b) A apreciação sobre se são adequadas as políticas conta-

bilísticas adotadas e da sua divulgação, tendo em conta as

circunstâncias;

c) A verificação da aplicabilidade do princípio da continui-

dade; e

d) A verificação sobre se é adequada, em termos globais, a

apresentação das demonstrações financeiras.

5. O nosso exame abrangeu também a verificação da con-

cordância da informação financeira constante do relatório

de gestão com as demonstrações financeiras.

6. Entendemos que o exame efetuado proporciona uma

base aceitável para a expressão da nossa opinião.

Reservas

7. O valor líquido contabilístico de 18.158,409 euros eviden-

ciado na rubrica de “Ativos fixos tangíveis” é composto por

um total bruto de 24.775,182 euros deduzido de 6.616,773

euros de depreciações acumuladas. Relativamente às de-

preciações acumuladas não nos foi possível concluir quanto

à razoabilidade do saldo desta rubrica, nem quanto ao valor

apresentado na demonstração de resultados em “gastos de

depreciação” do exercício, uma vez que existem divergên-

cias entre os registos contabilísticos e o programa de gestão

do imobilizado, desconhecendo-se a origem das mesmas e

a quantificação dos respetivos efeitos.