Previous Page  34 / 110 Next Page
Information
Show Menu
Previous Page 34 / 110 Next Page
Page Background Relatório e Contas 2013 Fundação CEBI

34

|

Instituidores e Órgãos Sociais

|

Nota de Abertura

|

A Fundação em Números

|

Relatório de Atividades

|

Análise Económica e Financeira

|

|

Referências Finais

|

Demonstrações Financeiras | Anexo às Demonstrações Financeiras

|

Apreciação e Certificação

|

Contactos

|

Educação

|

Ação Social

|

Saúde

|

Outras Atividades

|

Balanço Social

|

Ação Social

A Fundação CEBI desenvolve a sua atividade de modo a proporcionar às Comunidades

em que se insere uma resposta multidimensional que permita fomentar a melhoria da

qualidade de vida das pessoas, quer através de um apoio específico e sistemático em

situações pontuais de crise, quer através de respostas mais alargadas providenciando o

acesso à aprendizagem e ao trabalho que lhes permita desenvolver competências pes-

soais e sociais e, como tal, alargar os seus graus de liberdade, possibilitando-lhes fazer

opções responsáveis, ajustadas às suas vivências e estruturas familiares.

Emergência Social

Crianças e Jovens

Introdução

O

Departamento de Emergência Social

(DES) baseia os seus objetivos nas políticas

globais para a infância (nacionais e europeias) procurando, no âmbito da sua Missão,

desenvolver atividades através das quais promova os Direitos das Crianças (estando

a Criança no centro de toda a Ação), obtenha respostas adequadas para os problemas

das crianças que acolhe e defenda os seus Direitos perante a família, as instituições e

a comunidade. Neste âmbito e relacionado com a sua dinâmica enquanto membro da

Eurochild

, é tambémdesenvolvida atuação junto da comunidade e dos órgãos decisores,

por forma a influenciar e promover mudanças em questões delicadas como a luta contra

a pobreza infantil, a resposta alternativa à institucionalização de crianças, a participação

de crianças e jovens na discussão de temas/assuntos que lhes dizem respeito, a não

institucionalização de crianças commenos de três anos de idade.

As ações relativas ao acolhimento temporário de crianças emperigo refletem a legislação

portuguesa em vigor (Lei de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo) e asseguram a

proteção e o estudo da situação de cada uma das crianças acolhidas e das suas famílias

(quando possível), com elaboração do respetivo Projeto de Vida. O acolhimento de crian-

ças no DES implica sempre o encaminhamento das mesmas pela Equipa de Gestão de