Previous Page  9 / 12 Next Page
Information
Show Menu
Previous Page 9 / 12 Next Page
Page Background WWW.FCEBI.ORG

|

9

publicidade

edição

temática

-nascido”. Conscientes desta necessidade, as grávidas

entre as 20 e as 34 semanas de gestação, e os seus

acompanhantes, podem participar num Curso de Prepa-

ração para o Parto na CEBI.

Em oito sessões, Cláudia Martins procura abordar

temas como a Evolução da Gravidez, o Alívio de Des-

confortos, a Fisiologia do Parto, o Aleitamento Materno

e os Cuidados a ter com o bebé acabado de nascer

– “preocupo-me que a mãe fique a conhecer todas as

mudanças do seu corpo, tanto a nível fisiológico, como

estrutural e até hormonal. Falo das diversas fases do

parto, incentivo a que o casal fique à vontade para que

tudo seja o mais natural, descontraído e consciente

possível. Ensino a respirar durante o parto e procuro

transmitir várias formas de relaxamento para aliviar a

dor da contração”, explicou.

A adesão às aulas tem sido sazonal, como clarificou a

Fisioterapeuta da Clínica da CEBI. “É um serviço dedi-

cado a um grupo muito específico de casais, que deci-

dem ter filhos cada vez mais tarde, pelo que, nem sem-

pre é fácil mantermos a valência aberta”, esclareceu.

Há, por isso, uma constante necessidade de adaptação

– “tentamos organizar turmas com vários casais para

que todos se sintam mais à vontade. Nessa impossi-

bilidade, adaptamos as sessões de grupo para aulas

individuais, porque procuramos não fechar portas a nin-

guém”.

Comunicação, participação e prevenção

Encorajar à participação de todos os intervenientes é

outra das preocupações que não pode ser esquecida

durante as aulas. “A ideia é que todos desfaçam as

suas dúvidas, por completo”, explicou Cláudia Martins,

complementando que, para já, “este não tem sido um

problema, uma vez que todos os casais são bastante

comunicativos, tornando as sessões mais proveitosas”.

A figura materna tem, obviamente, um papel de desta-

que durante as aulas de Preparação para o Parto, onde

nenhum pormenor é esquecido: “incidimos também em

exercícios de fortalecimento do Pavimento Pélvico, que

são muito importantes para prevenir a Incontinência

Urinária”.

A mãe centro de todas as atenções

Entre as três e as seis semanas do recém-nascido, a

mãe pode, ainda, ingressar num conjunto de aulas de

Reabilitação Pós-parto, que procuram ajudar a “encon-

trar estratégias que atenuem o desgaste físico e

emocional da nova fase da vida da mulher”. Também

divididas em oito sessões, focadas “essencialmente

na recém-mamã”, as participantes são convidadas a

realizar um conjunto de exercícios específicos de cor-

reção postural e de fortalecimento dos grupos muscu-

lares mais afetados pela gravidez e pelo parto. Cláudia

Martins explica: “damos muita atenção à mulher em

si, trabalhando os músculos do Pavimento Pélvico e da

zona Abdominal, fazendo movimentos de alinhamento

postural e, eventualmente, tirando as dúvidas que sur-

girem sobre os primeiros cuidados neonatais”.

Numa altura em que a mãe “está muito pouco centrada

nela ou em qualquer cuidado que não tenha direta-

mente a ver com o seu bebé”, as sessões permitem

“criar um momento de acompanhamento terapêutico

onde a mãe tem um tempo exclusivo para ela própria”.

Grávidas

entre as 20 e

as 34 semanas

de gestação,

e os seus

acompanhantes,

podem

participar

numCurso de

Preparação

para o Parto na

CEBI