Após alguns anos de preparação com a adaptação dos seus procedimentos aos requisitos do referencial normativo ISO 9001, com a envolvência e motivação de todos os seus Colaboradores na melhoria das práticas e da eficácia no funcionamento dos processos, foi possível dar mais um passo na persecução do objetivo traçado e alargar o Sistema de Gestão de Qualidade (SGQ) ao Centro de Recursos da Ericeira (CRE), da Fundação CEBI, pelos requisitos da NP EN ISO 9001:2015.

Destaca-se o esforço, a dedicação e o envolvimento de todo o pessoal do CRE, na persecução do objetivo de certificação tendo sempre presente a gestão da qualidade total e a satisfação de todas as partes interessadas, nomeadamente clientes/utentes, Colaboradores e outros.

Enveredar pela certificação da qualidade é uma opção estratégica da Fundação CEBI, que foi objeto de uma séria reflexão prévia, pelo que tal decisão implicava ao nível das alterações organizacionais, das práticas instituídas, dos objetivos a atingir por forma a conseguir-se acrescentar valor para a Instituição e consequentemente para os seus clientes/utentes e outras partes interessadas.

Esta opção estratégica tem vindo a cumprir com o objetivo proposto de certificação de toda a Instituição e, passo a passo, o sistema de gestão da qualidade implementado na Fundação CEBI em conformidade com os requisitos da NP EN ISO 9001 vai avançando. Assim, a certificação do Centro de Recursos da Ericeira veio agora juntar-se às certificações anteriormente atribuídas e agora renovadas da Clínica de Medicina Física e Reabilitação (desde 2006) do Colégio José Álvaro Vidal e do Departamento de Emergência Social (desde 2008). De referir, ainda, que o Departamento de Emergência Social também se encontra certificado, desde 2011, ao abrigo dos manuais MAQISS-CAT nível C. 

São de realçar os seguintes pontos fortes, identificados pela equipa auditora: 

• “Conhecimento das práticas definidas”;
• “Empenhamento de todos os colaboradores”;
• “Dinâmica de articulação entre intervenientes diretos no projeto de vida de cada criança/Jovem”;
• “Ambiente familiar e acolhedor no CAR – Centro de Acolhimento Residencial”;
• “Interação entre os profissionais e as crianças”.



VOLTAR