João Sousa tem 30 anos. É antigo aluno do Colégio José Álvaro Vidal. Entrou na CEBI com três meses e só saiu doze anos depois. Desde então não parou. Teve oportunidade de estudar em Wroclaw, na Polónia, e desde 2012 que vive na Irlanda. É Engenheiro Informático. Tem uma vontade imensa “de resolver todos os problemas e mais alguns”, juntando a tecnologia à eficiência. Criou integralmente uma plataforma que pretende facilitar a comunicação entre Educadores e Encarregados de Educação. Denominou-a de Child Diary. Esteve, entre os dias 7 e 10 de novembro, na Web Summit, em Lisboa. Considerou a experiência “incrível” e promete voltar para as próximas edições. 

Quer “conquistar o mundo” com uma ferramenta pedagógica que “reduza o tempo que os Educadores perdem com documentação e burocracia” e por outro lado, aproximando e envolvendo os Encarregados de Educação no dia-a-dia das crianças. Aos poucos, está a conseguir. Até à data, cerca de 35 Escolas irlandesas, num total de 2500 famílias, utilizam diariamente a plataforma e este número vai crescer em 2017. Depois da Irlanda, João Sousa encontra-se a estudar o mercado Europeu e Norte-americano.

As Escolas portuguesas podem vir a ser as próximas a beneficiar das vantagens da sua plataforma Child Diary. O balanço, diz, ser positivo – “todos os utilizadores sentem que conseguem, de forma eficaz, registar o dia-a-dia das crianças e envolver os familiares nas rotinas escolares, como anteriormente nunca conseguiram”.

“Conto marcar presença nas próximas edições da Web Summit”

Com mais de 53 mil participantes, provenientes de 166 países distintos, a Web Summit é uma conferência internacional, que se realiza anualmente, onde a tecnologia está em destaque. Lisboa recebeu a primeira edição fora da cidade fundadora: Dublin. 

Durante os dias em que se realiza o evento, empreendedores tecnológicos de todo o mundo aproveitam para divulgar o seu trabalho. João Sousa não deixou escapar a oportunidade de apresentar a Child Diary a outros públicos. “Fiquei muito orgulhoso por ver a Web Summit em Lisboa. É incrível a quantidade de pessoas que o evento consegue mover num único espaço. Acho que a minha participação foi bem sucedida e conto marcar presença nas próximas edições”, disse.

Antigo aluno recorda uma “Escola de referência” com “exigência e qualidade no Ensino” 

A viver na Irlanda há cerca de quatro anos, João Sousa recorda que os doze anos que esteve na CEBI foram “cheios de aventura”. O antigo aluno relembra a constante “exigência e qualidade no Ensino” e a “Escola de referência”. Se tiver oportunidade de escolher, afirma, gostava “que os meus filhos estudassem no Colégio José Álvaro Vidal, podendo assim beneficiar das mesmas experiências” que ele próprio teve. Ou ainda melhores. 

Desde pequeno que “tem o bichinho de viajar”, gosto que ganhou depois da primeira temporada fora de Portugal – “curiosamente através de um programa de troca de famílias, organizado pela Fundação CEBI”. Na altura, esteve uma semana em Paris.



VOLTAR